betafly-color.png

Quantas pessoas brilhantes que você conhece se autossabotam? Talvez você seja uma dessas pessoas? 

pexels-august-de-richelieu-4427625 (1)

Adam Grant, sempre genial, explica um pouco sobre este tema em um episódio de seu podcast Work Life

Segurança e autoestima são coisas diferentes. 


Autoestima é o quão alta é a sua percepção sobre você, o quanto você é confiante. 
Segurança é o quanto a sua confiança é estável no tempo. 


Então, ser uma pessoa segura significa que você aceita que pode falhar, sem por isso se sentir um fracasso. 


Isso é muito importante, porque falhar é uma etapa fundamental para o sucesso em muitos casos! Muitas pessoas têm tanto medo de falhar, ou de não serem merecedoras de alguma oportunidade, que não dão o seu melhor, pois assim podem se justificar para si mesmas, caso falhem. 

Maluco isso né? 

Ele se refere a esta paralisia como “self handicapping”, algo como uma auto mutilação.


“A auto mutilação te protege de descobrir que você não é bom o suficiente. O problema é que ela também te impede de descobrir se você tem potencial para ser gigante. Você nunca sabe o que é preciso fazer para chegar lá.”


Foi justamente por observar esse fenômeno que incorporamos em nosso Método FLY® para Personal Branding uma etapa de coaching sobre autossabotagem.

Percebemos que Marca Pessoal é sobre mais do que somente o seu conteúdo.

A FORMA como você se apresenta ao mundo e a sua segurança fazem muita diferença para como o mundo te percebe.

Quando a Síndrome do Impostor atacar, pensa nisso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − dez =